Conheça os alimentos processados que são melhores que suas versões in natura

Falar sobre alimentação nunca é demais. O nosso blog é recheado de informações sobre o assunto, que é tão essencial para a nossa saúde. Afinal, entender quais alimentos são benéficos ou prejudiciais ao organismo é importante, seja para aumentar o consumo ou para evitá-los. Então, o tema de hoje é sobre os alimentos processados que são melhores que suas versões naturais. Bora conhecer?

De acordo com o Guia Alimentar para a População Brasileira há quatro categorias de alimentos. São elas: alimentos in natura ou minimamente processados; ingredientes culinários processados; processados e ultraprocessados. Os alimentos processados geralmente contêm adição de açúcar, sal ou outros ingredientes culinários para torná-los mais duráveis e saborosos.

Muitos especialistas levantam a bandeira e apontam que os alimentos naturais são melhores que os processados. Mas, em alguns casos, os níveis de processamento de alguns produtos são baixos e até fazem bem à saúde. Esse resultado pode ser comprovado pela rede BBC, que realizou uma matéria recente sobre o assunto baseado em estudos e pesquisas.

Feijão

Alimentos naturais podem conter toxinas e pode trazer muitos problemas ao organismo se forem consumidos em excesso. Por meio de um processamento mínimo é possível torná-los mais seguros. O feijão é um grande exemplo. O grão contém uma proteína, a lectina, que pode causar vômitos e diarreia. Ela é eliminada quando deixamos o feijão de molho durante a noite e acrescentamos água fervente para cozinhá-lo.

Leite

O leite também é um dos alimentos em que o processamento faz bem e torna seguro o consumo. Antes da pasteurização, o leite era tirado das vacas diariamente e comercializado em pequenas regiões. Com o avanço das cidades e consequentemente do número de habitantes, a bebida demorava para chegar à mesa do consumidor. Dessa forma, o leite estragava e transmitia bactérias às pessoas. Para combater as doenças ligada ao alimento, foram criados dispositivos para aquecimento da bebida e o processo de pasteurização, que foi adotado na Europa no final do século XIX e se espalhou pelo mundo.

Segundo John Lucey, professor de ciência alimentar da Universidade de Wisconsin-Madison, nos Estados Unidos, “pouco antes da Segunda Guerra Mundial, cerca de um quarto de todas as doenças transmitidas por alimentos e pela água vinham do leite. Agora é menos de 1%. A pasteurização é uma das histórias de sucesso de saúde pública mais importantes do último século”.

Legumes congelados

O congelamento também é classificado como processamento mínimo. Frutas, legumes e verduras podem reter nutrientes por mais tempo. Alguns estudos apontam que se eles forem armazenados somente na geladeira, suas vitaminas são perdidas ao longo dos dias.

Batata, pães e bacon

Há diferentes níveis de processamento. Um alimento cozido, por exemplo, é considerado processado por não ser consumido em seu estado natural, como é o caso da batata, que não pode ser ingerida crua. O trigo também passa por uma modificação para se tornar pão. Já o bacon, que passa por uma técnica de conservação para aumentar a sua vida útil, oferece a mais pessoas o acesso a carne.

Viu só como alguns alimentos processados podem ser benéficos à saúde? Ter a consciência que muitos se parecem com sua versão natural faz toda diferença na hora de escolher uma comida saudável no dia a dia.