Coxinha e pão de queijo: você sabia que essas iguarias foram criadas por mulheres?

A culinária brasileira é recheada de diversidade. Com ingredientes ricos e saborosos, cada região do país possui seus pratos típicos, frutos das tradições e costumes. Então, hoje vamos conhecer a história de duas famosas receitas: a coxinha e o pão de queijo. Sabia que as duas comidas foram criadas por mulheres? Não? A gente vai contar tudo!

A coxinha é um salgado que não falta nas festas brasileiras e pode ser recheada com requeijão, catupiry, frango, carne seca, siri, frita, assada, vegana ou doce. Opções é que não faltam, não é mesmo? Sua origem é cercada de lendas. Alguns acreditam que o salgado foi criado na França. Já outros, em Santo André, no ABC Paulista.

Na obra “História, lendas e curiosidades da gastronomia”, de Roberta Malta Saldanha, da Editora Senac, a coxinha teve origem em Limeira, no interior de São Paulo, no final do século XIX, na Fazenda Morro Azul, onde moravam a princesa Isabel e seu marido, o Conde D’Eu. Segundo a autora, o prato preferido do filho do casal era coxa de galinha.

A cozinheira percebeu, um dia, que não teria a quantidade suficiente de carne. Então, misturou batata, farinha e pedaços de frango desfiado. Como forma, utilizou a coxa da galinha. A receita não só agradou o filho da realeza, mas caiu no gosto de todos e é reproduzida até hoje – com diferentes recheios – como uma iguaria deliciosa.

E o que falar do pão de queijo? Aquela bolinha macia por dentro e crocante por fora tem seus encantos. Assim como a coxinha, a receita de pão de queijo pode incluir vários ingredientes, como água ou leite, batata, banha, óleo ou manteiga, polvilho doce ou azedo, queijo canastra, meia cura ou parmesão.

Alguns historiadores acreditam que o pão de queijo foi criado no século 18, no período da escravidão, em Minas Gerais. A versão mais disseminada diz que as cozinheiras das fazendas usavam, em suas receitas de pães, a farinha de mandioca – conhecida hoje como polvilho – e sobras de queijos endurecidos. Incluíam também leite e ovos, enrolavam a massa em pequenas bolinhas e colocavam para assar no fogão a lenha. Servido ainda quente, o pão de queijo era saboreado pelos senhores da época. Dessa forma, não demorou muito para conquistar o coração dos mineiros, de outras regiões do Brasil e do mundo.

Com essa história curiosa, encerramos a nossa série de conteúdos dedicado às mulheres. É gratificante saber que essas duas receitas foram criadas por elas. E a memória e a criatividade dessas cozinheiras do passado, com certeza, se fazem presentes nos dias atuais. Muitas delas estão nas cozinhas da JA Alimentação, que abriga excelentes profissionais e que preparam os cardápios de nossos clientes com experiencia e dedicação.