Amamentação: quais alimentos são recomendados e quais devem ser evitados?

Seja na gestação ou após o nascimento do bebê, é normal que muitas mães – principalmente as de primeira viagem – escutem diversos conselhos sobre o filho. Como por exemplo, qual é o melhor horário para dormir, qual a posição certa para evitar o refluxo, quais alimentos podem causar cólicas na criança ou quais aumentam a produção de leite etc. E, por falar no último item, o assunto de hoje é sobre a alimentação das mamães durante a amamentação.

No período da amamentação, a mãe perde, de forma gradual, cerca de 1 a 2 kg por mês. Isso ocorre pelo fato da energia gasta para produzir o leite materno diariamente. Portanto, a alimentação da mulher deve ser balanceada, com nutrientes e proteínas certas em seu cardápio.

O que comer neste período?

– Frutas e verduras;

– Proteínas, como carne de frango cozida e ovos;

– Peixes com pequenas quantidades de mercúrio;

– Carboidratos integrais encontrados no arroz, cereais, grãos, macarrão, pães e torradas;

– Porções de lácteos, como iogurte natural, leite desnatado e queijo branco;

– Gorduras boas, como abacate, azeite de oliva, frutas secas, sementes de abóbora, chia ou linhaça;

– Dois litros de água diariamente.

Durante a amamentação, a mãe também deve optar por alguns alimentos com ácido fólico, cálcio, ferro, ômega 3, vitaminas A, B12 e C e zinco. Veja abaixo onde encontrar os nutrientes.

– Ácido fólico: brócolis, couve, espinafre, feijão, repolho, salsinha e tomate;

– Cálcio: vegetais escuros, sementes de gergelim;

– Ferro: carnes e peixes, feijão, grão de bico, lentilha;

– Ômega 3: óleo de linhaça, sementes de linhaça, azeite de oliva extravirgem, frutos secos, chia, abacate, salmão e truta;

– Vitamina A: abóbora, cenoura, manga;

– Vitamina B12: carnes, leite, peixes e queijo;

– Vitamina C: frutas cítricas, pimentão amarelo, suco de goiaba, laranja, mamão, melão, manga;

Zinco: feijões, castanha-do-Pará e frutos secos.

O que evitar durante a amamentação?

– Alho, aspargos e cebola podem alterar o cheiro e até mesmo o sabor do leite materno;

– Aspartame (adoçante artificial);

– Alimentos processados;

– Bebidas alcóolicas;

– Cafeína (café, energéticos e refrigerantes de cola);

– Chás de erva-cidreira, mate, preto, verde, orégano, salsinha, tomilho, sálvia e hortelã-pimenta;

– Tabaco.

Segundo Fernanda Monteiro, coordenadora das Ações de Aleitamento Materno do Ministério da Saúde, “a mãe deve observar se a criança apresenta cólica ou incomodo após mamar. Se isso acontecer, ela deve se recordar quais foram os alimentos que consumiu na última refeição e reduzir a quantidade do alimento suspeito na próxima vez que tiver acesso”.

Dica importante

Para uma prescrição mais detalhada sobre a alimentação no período da amamentação, recomendamos a procura de um nutricionista. O profissional irá passar um cardápio com dias, horários e quantidades permitidas de consumo para manter a saúde da mãe e do bebê em dia.